terça-feira, 1 de agosto de 2017

Enfim campeã do UFC, Cris Cyborg pode ter Holly Holm como primeira desafiante


Fonte: Super Esportes 
Edição e Arte: Jorge Luiz da Silva.
Imagens: Google.com.br (Arquivo ASES)
Serrinha, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)


Holly Holm pode ter nova chance de cinturão diante de Cyborg, que evita escolher desafiante. AFP / Roslan Rahman - Sean M. Haffey/AFP 





UFC

Considerada a melhor lutadora de MMA do mundo, Cris Cyborg, enfim, se tornou campeã do Ultimate Fighting Championship. Depois de troca de farpas com o presidente da organização e duelos realizados fora da sua categoria, a brasileira conquistou o título vago do peso pena no fim de semana passado, com nocaute sobre Tonya Evinger, no UFC 214, em Anaheim. Como primeira desafiante, a curitibana pode ter pela frente a ex-campeã do peso galo, Holly Holm, conforme vislumbrou Dana White. 

Eu cutuquei Holly e perguntei o que ela achava dessa luta. Ela se mostrou interessada. Eu gosto muito desse casamento de estilos”, declarou o mandatário, citando a especialidade de ambas na trocação, em entrevista coletiva após o evento na Califórnia. 

Dana cita aval da ex-campeã e se empolga: 'Gosto desse casamento de estilos' 



Holly Holm foi a responsável por tirar o cinturão da então campeã imbatível do peso galo, Ronda Rousey, com nocaute devastador, em novembro de 2015. No entanto, ela perdeu o título logo na primeira defesa, ao ser finalizada por Miesha Tate. A ex-campeã teve a chance de disputar o cinturão inaugural do peso pena, contra Germanie de Randamie, mas acabou superada em duelo polêmico, por pontos, em fevereiro deste ano. No entanto, a holandesa, consagrada como a primeira campeã da divisão até 66kg, foi destituída do posto por se recusar a enfrentar Cris Cyborg. 

Cyborg minimizou a falta de lutadoras na recém-criada categoria dos penas e também colocou Megan Anderson, campeã do Invicta FC, como possível desafiante. A australiana seria a adversária da brasileira no UFC 214, mas teve problemas com documentação e foi substituída por Tonya Evinger, que é detentora do título do peso galo do Invicta. 

“Acho que será a mesma coisa que fizeram com a categoria até 61kg. Eles começaram com Ronda Rousey e, aos poucos, construíram a divisão em torno dela. Acho que será mesma coisa agora. Estou pronta para enfrentar qualquer uma. Vou treinar para manter o cinturão. Posso lutar com a Megan, na Austrália. Mas não escolho com quem vou lutar”, afirmou. 


l