terça-feira, 18 de abril de 2017

Mais longe do cinturão, Jacaré para por no mínimo 30 dias depois de nocaute

Texto: Vicente Ribeiro
Fonte: Superesportes 
Imagens: Reprodução / Google.com.br e Arquivo ASES
Edição e arte: Jorge Luiz da Silva.
Serrinha, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)
Jacaré é golpeado por Whittaker: derrota distancia brasileiro do title shot
e o tira de ação por 30 dias. 
Getty Images



UFC

 Derrotado no UFC Kansas, brasileiro leva suspensão médica de um mês

Depois de ser nocauteado por Robert Whittaker no UFC Kansas, no sábado passado, e se distanciar de uma futura disputa de cinturão peso médio, Ronaldo Jacaré ficará fora de ação por no mínimo 30 dias. Esse é o tempo da suspensão médica determinada para o brasileiro e divulgada nesta segunda-feira pelo Departamento de Registro Profissional de Atletas do Missouri, que regulamentou o evento.

Batido por nocaute técnico no segundo round, Jacaré teve interrompida sequência de duas vitórias seguidas. Na espera de uma chance para disputar o título, o capixaba aceitou enfrentar o australiano em Kansas, mas a derrota custou a chance de title shot em um curto espaço de tempo na divisão dos médios.

Robert Whittaker (luvas azuis) venceu Ronaldo Jacaré por nocaute técnico no segundo round. Getty Images

Além de Ronaldo Jacaré, Patrick Williams e Nate Coy também receberam suspensão médica de 30 dias e, dentro desse prazo, não poderão ter qualquer tipo de contato físico. Quem terá que se ausentar por mais tempo é Andrew Sanchez, que ficará parado por cerca de três meses (90 dias).

Os demais brasileiros que lutaram em Kansas City receberam suspensão médica mínima, que é de sete dias: o mineiro Wilson Reis, finalizado por Demetrious Johnson no evento principal da noite, valendo o cinturão dos moscas; Renato Moicano, que bateu Jeremy Stephens por decisão dividida; Augusto Tanquinho, derrotado por pontos por Aljamain Sterling; e Ketlen Vieira, que venceu Ashlee Evans-Smith por decisão unânime.