segunda-feira, 13 de março de 2017

Suspensão médica de um mês complica presença de Vitor Belfort no UFC Rio



Texto: Vicente Ribeiro
Fonte: Super Esportes
Edição e arte: Jorge Luiz da Silva.
Imagens: Google.com.br (Arquivo ASES)
Serrinha, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)


Fenômeno teria menos de dois meses de preparação para evento. (Getty Images)



UFC

Depois da derrota para Kelvin Gastelum, a terceira consecutiva por nocaute técnico, na luta principal do UFC Fight Night 106, na madrugada desse domingo, em Fortaleza, Vitor Belfort disse que pensava em uma despedida no UFC 212, marcado para 3 de junho, no Rio de Janeiro. O problema é que o Fenômeno terá que ficar parado ao menos um mês, o que poderá complicar a presença no evento na capital carioca. 

De acordo com a lista de suspensões médicas do UFC em Fortaleza, divulgada pela Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA), Belfort terá que ficar 30 dias sem qualquer tipo de contato físico, inclusive treinamentos, além de 45 dias sem lutar. O prazo termina em 11 de abril, o que significaria menos de dois meses de preparação para o UFC no Rio de Janeiro.

Kelvin Gastelum nocauteou Vitor Belfort no primeiro round da luta principal do UFC Fortaleza (Foto: Getty Images)
                                            


As maiores suspensões médicas do UFC em Fortaleza ficaram com Tim Means e Bethe Pitbull. O norte-americano, derrotado por Alex Cowboy Oliveira por finalização no segundo round, e a brasileira, que teve luta empatada por decisão majoritária diante de Marion Reneau, terão que ficar ausentes por seis meses. Os dois deverão apresentar exames de raio-x – o lutador devido a uma possível lesão no pé direito e a potiguar com suspeita de fratura orbital – para retornar antes do prazo.

O mineiro Paulo Borrachinha, que estreou de forma positiva no UFC, com vitória diante de Garreth McLellan por nocaute técnico no primeiro round, recebeu suspensão médica leve. Ele ficará ausente das lutas por 14 dias, com uma semana sem qualquer tipo de contato físico.

Belfort agradece aos fãs depois da dura derrota em Fortaleza: pedido para fechar carreira na terra natal



Confira as suspensões médicas do UFC Fortaleza

Kelvin Gastelum: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Vitor Belfort: 45 dias sem lutar e 30 dias sem contato
Mauricio Shogun: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Gian Villante: 45 dias sem lutar e 30 dias sem contato
Edson Barboza: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato


Beneil Dariush: 60 dias sem lutar e 45 dias sem contato
Jussier Formiga: 30 dias sem lutar e 21 dias sem contato
Ray Borg: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Bethe Pitbull: 180 dias sem lutar e 180 dias sem contato; precisa de consulta com oftalmologista para voltar antes
Marion Reneau: 30 dias sem lutar e 21 dias sem contato
Alex Cowboy Oliveira: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato.
Tim Means: 180 dias sem lutar e 180 dias sem contato; precisa de exame de raio-x no pé direito para voltar antes do prazo
Francisco Massaranduba: 30 dias sem lutar e 21 dias sem contato

Kevin Lee: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Sergio Moraes: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Davi Ramos: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Rani Yahya: 30 dias sem lutar e 21 dias sem contato
Joe Soto: 30 dias sem lutar e 21 dias sem contato
Michel Trator: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Josh Burkman: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Paulo Borrachinha: 14 dias sem lutar e sete dias sem contato
Garreth McLellan: 45 dias sem lutar e 30 dias sem contato