segunda-feira, 27 de março de 2017

Em retorno ao UFC, GSP revela objetivo de provar que é melhor de todos os tempos

Fonte: Superesportes
Imagens: Reprodução / Google.com.br e Arquivo ASES
Edição: Jorge Luiz da Silva.
Serrinha, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)
De volta ao octógono, St-Pierre escolhe melhores lutas possíveis para pavimentar legado no MMA. (Getty Images)



UFC

Após mais de três anos de hiato na carreira, Georges St-Pierre acertou o retorno ao Ultimate Fighting Championship e já tem desafio definido: a disputa do cinturão do peso médio contra Michael Bisping, ainda sem data marcada. No regresso ao octógono, o ex-campeão dos meio-médios revela a intenção de competir em outras categorias para provar que é o maior nome da história das artes marciais mistas. Aos 35 anos, GSP ainda avisou que não pretende se manter em atividade por longo período. 

Canadense deseja lutar em três divisões diferentes e desconversa sobre rivais.

Eu tenho cerca de 84kg, 86kg. Eu vou lutar em 84kg agora, e conheço caras peso-leve que são mais pesados do que eu em período fora de luta. É possível que eu lute nessas três divisões: leves, médios e meio-médios. Eu voltei por uma razão: quero fazer história. Estou perto de completar 36 anos, e tudo vai depender de como as coisas vão acontecer. Não quero lutar até os 40 e poucos anos. Essas serão as minhas últimas lutas, e quero escolhe-las cuidadosamente. Quero dizer, quero fazer as melhores lutas possíveis. Quero lutas que vão pavimentar meu legado como o melhor de todos os tempos. Talvez eu falhe, mas não terei arrependimentos quando tiver 50 anos”, declarou ao MMA Fighting.


Georges St-Pierre, no entanto, prefere não apontar nomes de próximos adversários. Por vários anos, ele teve o nome especulado para uma superluta contra Anderson Silva. Principal astro do UFC na atualidade e campeão do peso leve, Conor McGregor também seria uma opção para o canadense.

Tenho muitos cenários na minha cabeça. O que aprendi com o passado é que eu costumava pensar demais nas coisas. Isso foi um dos problemas quando estava lutando. Quando você pensa demais, nunca acontece do jeito que você quer. Qual será a próxima coisa de coisa para mim? Quem será o cara a ser batido? Tudo depende do que vai acontecer”, afirmou.


Um dos campeões mais dominantes da história do UFC, GSP está afastado do UFC desde a vitória sobre Johny Hendricks, por decisão dividida, em novembro de 2013, quando manteve o cinturão dos meio-médios pela nona vez – apenas uma a menos que o recordista em defesas de título da organização, Anderson Silva, com dez triunfos seguidos nos médios. St-Pierre tem cartel de 25 vitórias e duas derrotas.