sexta-feira, 27 de maio de 2016

Suspensa por doping, Sharapova será convocada pela Rússia para a Olimpíada do Rio


Fonte: Super Esportes.com.br
Informação: Agência Estado (AFP)
Imagens: Google e Arquivo ASES
Edição: Jorge Luiz da Silva.
Salvador, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)


Maria Sharapova será convocada pela Rússia.
Informação foi confirmada nesta quinta pela Federação Russa de Tênis



Suspensa por doping depois de testar positivo para Meldonium durante a disputa do Aberto da Austrália, a tenista Maria Sharapova será convocada pela Rússia para os Jogos Olímpicos do Rio. A informação já circulava na quarta-feira e foi confirmada nesta quinta pelo presidente da Federação Russa de Tênis (RTF, na sigla em inglês).

"Ela será incluída na equipe. Se ela estiver inelegível para participar dos Jogos, ela vai ser substituída pela próxima tenista classificada pelo ranking", explicou Shamil Tarpishchev em entrevista à agência de notícias estatal russa, a TASS. Ele também é membro do Comitê Olímpico Internacional.

 Sharapova ainda é a 23.ª do mundo


O ranking mundial da semana subsequente a Roland Garros, publicado no próximo dia 6 de junho, é que definirá as tenistas que têm vaga no Rio-2016. Sharapova ainda é a 23.ª do mundo e fatalmente ficará entre as 56 primeiras colocadas, com direito a um lugar na chave olímpica de simples.

Cada país pode levar quatro tenistas à chave. A Rússia atualmente tem Svetlana Kuznetsova em 15.º, Anastasia Pavlyuchenkova em 27.º e Ekaterina Makarova em 29.º lugar. Daria Kasatkina (32.º), Elena Vesnina (49.ª) e Margarita Gasparyan (55.º) são as próximas da lista, todas dentro da zona de classificação.

Ela tomou o remédio por muitos anos



A Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) ainda não estipulou uma data para o julgamento de Sharapova. A Agência Mundial Antidoping (Wada) já admitiu a anistia de atletas flagrados por Meldonium até 1.º de março com baixa concentração da substância no sangue, num indício de que o medicamento foi consumido antes de ser proibido em 1.º de janeiro. Sharapova, entretanto, não se encaixaria nessa exceção.

"O caso dela é mais complicado. A concentração no seu sangue estava acima do estabelecido. Ela tomou o remédio por muitos anos a partir de prescrição médica", disse o ministro de Esporte da Rússia, Vitaly Mutko, no mês passado.