terça-feira, 31 de maio de 2016

Ranking do judô é fechado e Brasil terá só cinco cabeças de chave nos Jogos do Rio de Janeiro



Fonte: Super Esportes
Informação: Agência Estado
Edição: Jorge Luiz da Silva.
Imagens: Google.com.br (Arquivo ASES)
Salvador, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)


Judoca Sarah Menezes é uma das principais esperanças do Brasil nos Jogos Olímpicos.
Foto: Yasuyoshi Chiba




 Na Olimpíada de 2012, país teve o dobro de atletas privilegiados na primeira fase





Se há quatro anos a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) comemorava que o Brasil tinha 10 cabeças de chave nos Jogos Olímpicos de Londres, agora que a competição será em casa o País terá apenas metade deste número. A última atualização do ranking olímpico foi publicada nesta segunda-feira pela Federação Internacional de Judô (IJF) mostrando que apenas cinco brasileiros terão chave privilegiada no Rio-2016. 

Sarah Menezes (48kg), Erika Miranda (52kg) e Mayra Aguiar (78kg) estão em quarto lugar nas suas respectivas categorias e não enfrentam nenhum das três primeiras do ranking mundial até a semifinal. Elas são as brasileiras mais bem colocadas no ranking num cenário pior do que o de 2012, quando Mayra e Leandro Guilheiro foram a Londres em primeiro e Sarah em terceiro. 

Victor Penalber, em sétimo na categoria até 81kg, tem chave privilegiada até as quartas de final. O outro cabeça de chave brasileiro será no peso pesado (+100kg). A CBJ vai revelar na quarta-feira o escolhido entre Rafael Silva (nono do ranking) e David Moura (décimo). Como há dois japoneses na frente, o brasileiro apontado entrará como oitavo cabeça de chave. 






Os demais brasileiros não terão qualquer privilégio no sorteio das chaves da Olimpíada, podendo estrear contra os candidatos ao ouro. São os casos de Charles Chibana (19.º na categoria até 66kg), Alex Pombo (27.º na até 73kg), Tiago Camilo (20.º na até 90kg), Rafaela Silva (14.ª na até 57kg), Mariana Silva (16.ª na até 63kg), Maria Portela (14.ª na até 70kg) e até Maria Suelen Altheman (12.ª na +78kg). A peso pesado perdeu nove confrontos este ano, sendo quatro para a cubana Idalys Ortiz, líder do ranking mundial.

Em três categorias
a briga está aberta pela convocação, que será anunciada na quarta-feira. Na até 60kg, Eric Takabatake (13.º) tem só 21 pontos a mais que Felipe Kitadai (14.º), que é o favorito a ser escolhido. No peso pesado, a vantagem de Rafael Silva sobre David Moura é de 102 pontos, mas Moura tem resultados melhores contra os judocas que vão à Olimpíada. Já na até 100kg, os 101 pontos de folga sobre Luciano Corrêa (27.º) devem levar Raafel Buzacarini (24.º) aos Jogos.